Modernização de elevadores – o que é, quando fazer e qual a importância

Elevadores são essenciais para o transporte vertical em edifícios com mais de 4 andares, e até mesmo em prédios menores, tendo em vista a acessibilidade. Já existem mais de 300 mil elevadores em funcionamento no Brasil e esse número só tende a crescer, visto que o mercado imobiliário de edifícios se expande cada vez mais. Os elevadores são considerados o meio de transporte mais seguro do mundo! Apesar disso, devem estar em consonância com as atualizações tecnológicas para superar irregularidades legais e garantir a segurança dos passageiros. A modernização dos elevadores vai além da manutenção e pode ser realizada de 3 formas: modernização parcial técnica, modernização parcial estética (redesign) e modernização total (troca de todo equipamento). Conheça cada uma delas, saiba quando o elevador precisa de modernização e qual a sua importância.

Se tratando de elevadores, os condomínios brasileiros (ou as administradoras de edifícios comerciais) são obrigados, por lei, a manter uma empresa de manutenção para o equipamento.

Porém, mesmo com uma boa manutenção em dia, chega um momento em que o elevador precisa de uma modernização estrutural, que troque seus componentes de maneira a fazer com que o equipamento se torne mais eficiente e seguro.

Existem várias Normas da ABNT que dispõem sobre requisitos de construção e instalação de elevadores. As normas utilizadas pelos fabricantes são as NBR 5666, que trata da terminologia; NBR NM 207, que trata sobre parâmetros de segurança para construção e instalação; e NBR-5665, que cuida do procedimento para cálculo de tráfego. Além disso, existe a NBR 15.597:2008, desenvolvida com base em uma norma europeia (EN81 – 80:2003), que visa adequar os elevadores antigos aos padrões atuais de segurança. Por fim, a lei federal 10.098 (2000), regulamentada pelo decreto federal 5.296 (2004), estabelece normas gerais e critérios básicos que promovem a acessibilidade a pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida.

Os elevadores são compostos de vários componentes mecânicos e eletromecânicos que não são vistos ou percebidos pelos usuários, que geralmente só entram em contato a parte estética. A qualidade desses componentes é vital para a eficiência da operação e segurança do equipamento. Nos modelos mais antigos, a danificação desses componentes pode ser notada através dos custos de manutenção, paralisações rotineiras, desníveis entre a cabine e o piso, ou mesmo consumo excessivo de energia. Para estes elevadores, a modernização é uma necessidade básica e urgente. A modernização, além da segurança, irá trazer economia de energia, melhoria no funcionamento e eliminação de ruídos e vibrações, proporcionando a condução mais confortável aos usuários.

Quando o elevador precisa ser modernizado?

Modernização de elevadores

Os especialistas sugerem que a troca de aparelhos seja feita a partir de 15 anos, ou quando o equipamento passa a apresentar problemas frequentes. A funcionalidade do elevador deve ser observada, independente do tempo de uso. Se ele não é tão antigo, mas já pede intervenções mensais, por exemplo, “travando” mais de uma vez por mês, talvez seja um é sinal que, é chegada a hora de modernizar o equipamento. Estar atento, acompanhando e observando o “comportamento” do elevador, é fundamental para perceber quando ele deve ser modernizado. Essa atividade geralmente ficará a cargo do síndico do condomínio, sendo residencial ou comercial. Fique atento se:

  • O elevador tem um tempo de vida de mais de 15 ou 20 anos e está ficando cada vez mais difícil encontrar peças para reposição, pois deixaram de ser fabricadas;
  • As despesas mensais com reposição das peças e frequentes paradas de manutenção estão atrapalhando a vida dos usuários;
  • As manutenções e reposições não estão resolvendo completamente os problemas que o elevador apresenta.

Se um dos itens acima é observado, já pode ser indício de que o elevador necessita de uma modernização. Outros sinais que podem ser percebidos e geralmente antecedem uma modernização:

  • Trocas frequentes de peças;
  • Desnível entre o andar e a cabina;
  • Barulhos mais altos e constantes que o usual;
  • Falhas e interrupções de serviço cada vez mais constantes;
  • Consumo de muita energia elétrica.

As 3 maneiras de modernizar um elevador

Existem ao menos três formas de se modernizar um elevador, que devem ser escolhidas considerando o que for mais seguro para os usuários, e decididas em acordo entre os condôminos e a administração do condomínio:

  1. Modernização total técnica: instalação de elevadores novos e mais recentes, fazendo sua total substituição;
  2. Modernização parcial técnica: conservação e manutenção dos elevadores, com uma modernização parcial dos já existentes;
  3. Modernização parcial estética: reforma que não altera em nada o funcionamento, apenas o design (“falsa modernização”).

A modernização estética é chamada “falsa” pois é voltada apenas para o embelezamento, ou seja, a troca do piso, teto, corrimão, revestimento da cabina, etc; sem considerar o funcionamento mecânico. Cuidado! Ela dificilmente será realizada sozinha, pois se o elevador está necessitando de um novo design é porque, provavelmente, as partes mecânicas dele também estão antigas. Portanto, a decisão mais importante – e que leva em conta a segurança e a melhora real do serviço – diz respeito a troca do ponto de vista técnico. Há de se decidir se ela será total ou parcial, e então, dentro disso, deve-se escolher se o elevador precisa de uma modernização que envolve sua estética ou não (devido aos altos custos isso muitas vezes é deixado em segundo plano.)

Para uma modernização técnica parcial, geralmente é preciso trocar o comando, a fiação, o painel de botões, as portas, o operador e trinco das portas, os fechadores, a máquina (motor) e o cabo de tração do elevador. Essas alterações podem variar, caso a caso, e devem ser avaliadas de forma particular. Boris Risnic, conhecido como Dr. Elevador, diz: “O primeiro passo é contratar uma consultoria, para saber de antemão quais peças precisam ser trocadas. Só então faça uma concorrência entre as empresas de manutenção”.

Muitas vezes, a modernização técnica parcial não apresenta um bom custo-benefício, e é melhor realizar a modernização total do equipamento, trocando-o por um inteiramente novo. Com um equipamento mais moderno, as viagens serão mais rápidas, confortáveis e seguras – algo fundamental tanto para respeitar a legislação, quanto para facilitar a vida dos usuários (especialmente os que têm medo de acidentes ou sofrem de claustrofobia).

Benefícios com a modernização dos elevadores

  • Segurança: item principal, pois traz mais tranquilidade para todos que utilizam o elevador e garante a consonância com a legislação;
  • Economia: tanto com a redução no consumo de energia (que pode ser de até 40%), quanto com a redução dos gastos com troca e reposição de componentes;
  • Conforto: subidas e descidas mais suaves, sem trepidação, aceleração ou paradas bruscas;
  • Dinamismo: um elevador mais ágil e mais rápido, tendo mais desempenho no transporte dos usuários;
  • Valorização do condomínio: com a instalação de equipamentos mais atualizados, todo condomínio é melhorado e cada unidade habitacional (ou comercial) é mais valorizada economicamente.

Linha de Elevadores Boxtop

 

 

Deixe um resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *